sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Há um "Sénior Feliz" a caminho de Famalicão

.


Uma solução social para um problema financeiro.

Não faltam, infelizmente, no nosso país, exemplos de decisões políticas alicerçadas em louváveis propósitos e estudos que, fruto de factores vários, acabam por não verem concretizados, na prática, os seus objectivos.

Disso é exemplo, a criação em 1997 dos Transportes Urbanos de Famalicão (TUF), fundamentado em dois estudos técnicos de credenciadas entidades.

Não foi necessário muito tempo para se constatar a sua reduzida procura, longe do potencial médio de utentes apontados, facto que retirou rentabilidade à empresa e, consequentemente, a arrastou para uma situação económica deficitária, envelhecimento da frota e crescente deterioração da qualidade do serviço prestado.

O encerramento, uma inevitabilidade aos olhos do cidadão comum, não tem forçosamente de o ser. A manutenção de uma empresa privada pode e deve ser analisada na óptica do interesse público. Foi isso o que fizemos na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

Assumindo que os TUF, prestam um serviço público essencial e social, que a manutenção dos seus postos de trabalho assume relevante importância e, não olvidando os efeitos positivos decorrentes da existência do serviço, como o alivio da densidade de trânsito citadino, a maior mobilidade das populações, a melhor eficiência no transporte dos estudantes, entre muitos outros, decidimos criar o “Passe Sénior Feliz”.

Em alternativa à pura subsidiação, solução adoptada na maioria de situações idênticas, projectamos uma inequívoca medida social que, sob a liderança dos TUF, colheu a maior receptividade e adesão de todas as operadoras de transportes públicos.

A partir de 1 de Março, por apenas 6,75 euros mensais (o valor global do passe é de 13,50 euros, sendo comparticipado em 50% pela autarquia), os munícipes, com idade igual ou superior a 65 anos, vão poder viajar as vezes que quiserem, em qualquer uma das operadoras de transportes públicos urbanos e interurbanos que operam no concelho.

Partindo de um problema concreto, encontrou-se uma solução global de largo alcance social, que se insere, aliás, na política autárquica de solidariedade e de valorização dos seniores famalicenses que tem elevado de forma significativa a sua qualidade de vida.

Servindo como alavanca financeira de ajuda aos TUF, garante-se assim a sobrevivência dos mesmos e, concomitantemente, os efeitos positivos advindos do serviço público que prestam.

Observação: Artigo publicado no “ARRIVA Jornal”, edição nº 002/2007 Fevereiro/Março

Sem comentários: