segunda-feira, abril 24, 2006

AZIMUTE - Desonestidades Públicas

. São desejáveis, em democracia, as denúncias públicas dos partidos políticos da oposição. Concretizam o especial dever de fiscalização da oposição, compelem o poder político a reflectir, e muitas vezes, a inflectir nas suas opções e ajudam à formação de uma opinião pública consciente e mesmo actuante, nos momentos mais importantes da vida colectiva. Mas uma coisa é a denúncia alicerçada em factos verdadeiros. Outra é a denúncia feita com recurso a inverdades, com dissimulações, com reserva mental, com auto-enganos intelectuais e políticos. Aqui a denúncia pública não passa de desonestidade pública. Vejam-se alguns exemplos extraídos das acusações avançadas pela candidatura do PS à Junta de Freguesia de Vila Nova de Famalicão. A falsa delação da impossibilidade de recurso ao correio electrónico na actual sede da junta de freguesia, que qualificaram de “desleixo puro e simples”. A critica feroz às inúmeras construções que estão a surgir na zona de Mões, falam até em mais 300 novos fogos, obriga a que se reponha a verdade dos factos e se diga que não são 300, mas sim 447, todos fruto das operações de loteamento aprovados no tempo em que o PS esteve no poder camarário. Denunciam a desordem urbanística que propaga naquela zona, o que não deixa de ser verdade, mas deviam ter acrescentado que depois das aprovações “ad hoc” do PS, pouco território ficou para planear. Podiam, ainda, ter aproveitado para denunciarem que o seu PS, no âmbito das referidas operações deveria ter exigido 25.320 m2 para áreas de cedência ao domínio público, destinadas a espaços verdes e equipamentos, mas só obrigou à cedência de 3.994 m2. Podiam, também, ter aproveitado para denunciarem que o seu PS, apesar de ainda hoje não estarem concluídas, recepcionou as obras de urbanização e cancelou todas as garantias da sua boa execução. Lamentam a não construção de uma passagem pedonal e uma outra rodoviária para atravessamento da via férrea, na zona de Santo Adrião. Deveriam ter dito que em 1998 o PS aprovou o projecto da requalificação da linha, despido de tais passagens, apesar dos apelos da Junta de Freguesia. Deveriam, de igual modo, salvaguardar que foi o novo executivo camarário que retomou este dossier, que contratualizou com a REFER uma participação financeira nos custos das mesmas, que aprovou a abertura do concurso público para a sua concepção e execução e que decorre um processo expropriativo dos terrenos necessários para o efeito. Insurgiram-se contra a não presença do vereador da educação numa acção de campanha, rotulando-a de manifesta falta de interesse em conhecer um projecto sócio-educativo, mas omitiram à comunicação social que o convite foi efectuado uma hora antes do fecho dos serviços camarários. Vir mais tarde a terreiro, afirmar que desconhecem a justificação do vereador, apresentada via fax, porque uma das sedes do PS não tem esse equipamento e na outra o mesmo está avariado, é a desculpa mais esfarrapada que podiam ter arranjado e está ao mesmo nível dos comportamentos anteriores. Artigo publicado no Semanário “Opinião Pública”, edição de 21 de Abril de 2006.

quinta-feira, abril 20, 2006

Dia Internacional dos Monumentos e Sitios

.
O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Armindo Costa, acompanhado dos vereadores Jorge Paulo Oliveira e Leonel Rocha, inaugurou, terça-feira, dia 18 de Abril, Dia Internacional dos Monumentos e Sitios, a nova ala do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, constituída por uma nova sala de reservas, um centro de arquivos empresariais e uma galeria para exposições. Durante a cerimónia de inauguração, Armindo Costa avançou com a ideia de construir no concelho um monumento de homenagem à indústria têxtil e aos empresários deste sector, referindo que “a história do concelho fez-se com a ajuda destes homens e mulheres que trabalhavam nas fábricas têxteis”. Referindo-se às novas valências do Museu, o autarca disse que “esta foi uma obra necessária e de baixo custo”. Apesar de se mostrar satisfeito com as novas áreas, Armindo Costa salientou que “a intenção da autarquia continua a ser a mudança de instalações do Museu da Indústria Têxtil, para o pavilhão da antiga fábrica do Outeiro”, sendo que neste momento, “estão a decorrer as negociações”. Recorde-se que a inauguração das novas instalações do MIT, inseridas no Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, foi de encontro ao tema proposto pela UNESCO, o património industrial, para celebrar este dia. Neste sentido, Lopes Cordeiro salientou que “o município de Famalicão é o único organismo nacional a colaborar com a UNESCO, comemorando o tema escolhido internacionalmente”.

quarta-feira, abril 19, 2006

Queima das Fitas 2006 - Programa

.
Programa da Queima das Fitas 2006
Sexta-feira, dia 28/04/2006 Warm up 21.00 h. - Boss AC – Pavilhão Municipal 00.00h. - Vip Party “Festa de Apresentação” – Lago Discount
Dj´s Ribeirinho e Bruno Azevedo (Captação da Iª Mostra de Dj’s Locais, da iniciativa Jovem.Com 2006) Sábado, dia 29/04/2006 00:00 h. - Serenata - Junto a Igreja Matriz Velha Lago Discount 01:00 h. - Dj Peter J 02:30 h. - Dj MastikSoul Domingo, dia 30/04/2006 12:00 h. - Missa de Bênção das Pastas - Igreja Matriz Nova 16:00 h. - Imposição de Insígnias Lago Discount 00.00h. - Let the Jam Roll 01:00h. - Expensive Soul 02:30h. - DJ’s SS Tribal e Paulo Strong 03:00h. - Dj André Alves Segunda-feira, dia 01/05/2006 Lago Discount 00:00h. - VII Famatuna 03:00h. - Dj Pedro Tinoco Terça-feira dia 02/05/2006 Lago Discount 00:00h. - Nandinho Comedy 01:30h. - Fernando Rocha 02:30h. - Central Rock 03.30h. - Dj Tony Bianchi Quarta-feira, dia 03/05/2006 16:00h. - Cortejo Académico Lago Discount 00:00h. - Los Cubanitos 02:00h. - Millenium Show Quinta-feira, dia 04/05/2006 Lago Discount 00:00h. - Quim Barreiros 02:00h. - Dj Fernando Alvim Sexta-feira Feira, 05/05/2006 Lago Discount 00:00h. - Vencedor do concurso de Bandas de Garagem 01:30h. - The Gift 03:30h. - Dj Pedro Tabuada Dj Residente - Mike Tudor

Queima das Fitas 2006 - Apresentação

.
A Edição da Queima das Fitas 2006, foi apresentada no passado dia 13 de Abril, à comunicação social, pelos Presidentes das Associações Académicas da Universidade Lusíada (José Durães), Escola Superior de Saúde do Vale do Ave (João Braga) e Vereador do Pelouro da Juventude (Jorge Paulo Oliveira)
Texto da Conferência de Imprensa A criação e a implementação em Vila Nova de Famalicão, da Universidade Lusíada e da Escola Superior de Saúde do Vale do Ave, a que se soma este ano o Pólo de Pós-Graduações do Instituto Politécnico do Cavado e Ave, traduziu-se numa indiscutível mais-valia para o concelho e para a região onde nos inserimos. A presença destas instituições e os esforços que vêm desenvolvendo, permitiu a afirmação de projectos de ensino de qualidade que respondem às necessidades da população e da região e ganhos de competitividade pela importância e dimensão cultural e cientifica que ajudaram o município a alcançar. Estas instituições assumiram-se, ainda, como verdadeiros pólos dinamizadores da própria cidade, trazendo visíveis e positivas mudanças na vivência social, cultural e económica. A cidade de características provincianas, há muito que deu lugar à cidade de características académicas. Todos os dias se solidifica o espírito universitário famalicense, todos os dias se solidifica a ligação afectiva entre os famalicenses e estas instituições educativas. A cidade ganhou claramente mais animação e maior projecção cultural. Para isso muito tem contribuído as diferentes manifestações da tradição académica, com destaque para a Queima das Fitas, cuja edição de 2006, de novo organizada em conjunto pelas Associações Académicas da Universidade Lusíada e da Escola Superior de Saúde do Vale do Ave, hoje se apresenta à comunicação social. A Queima das Fitas, não pode ser vista apenas como um evento que tem como destinatários exclusivos, os estudantes universitários. A Queima das Fitas, é também uma importante manifestação cultural, é também, mais uma oportunidade de todos os estudantes e não estudantes universitários conviverem lado a lado, é também, um espectáculo visual que os estudantes universitários oferecem à população de Vila Nova de Famalicão. Por todas estas razões, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão não podia deixar de se associar a este importante evento que mobiliza mais de 2.200 estudantes, um importante “capital” que deve ser valorizado. É por essas mesmas razões que muitas outras instituições e empresas decidiram apoiar esta grande festa anual, que representa um dos períodos mais marcantes para os alunos universitários. Num evento que vem, de ano para ano, crescendo qualitativa e quantitativamente, em 2006, o Programa da Queima das Fitas, que decorrerá entre 28 de Abril e 5 de Maio, será provavelmente o melhor até aqui realizado, conciliando de forma bastante equilibrada e com notória qualidade, as tradicionais manifestações académicas com muitas outras iniciativas que concretizam a essência da Queima das Fitas: o espírito da festa, da alegria de concretização do objectivo que é o curso e da juventude. Assim, além das já tradicionais realizações como a Serenata junto à Igreja Matriz Velha, um dos mais belos e simbólicos momentos da Queima das Fitas, inicio de uma nova caminhada e que verdadeiramente abre a Queima, a Missa de Bênção das Pastas, na Igreja Matriz Nova, a Imposição de Insígnias e o Cortejo Académico, também ele um dos momentos altos da semana, símbolo de comunhão dos estudantes com a cidade e onde os finalistas se apresentam ao público, foi preparado um diversificado programa de animação das Noites da Queima das Fitas de Famalicão, centrada na música e no entretenimento. Nas Noites da Queima das Fitas de Famalicão, vão passar conhecidos e consagrados nomes do panorama musical nacional:
  • Boss AC, a 28 de Abril, o primeiro grande concerto;
  • Expensive Soul, a 30 de Abril;
  • Quim Barreiros, a 04 de Maio;
  • The Gift, a 5 de Maio, que fecha o ciclo dos grandes concertos e constituirá o último sopro de folia da Queima das Fitas.

Apesar da aposta nos artistas mais reconhecidos do fenómeno musical, as bandas menos conhecidas do grande público não foram esquecidas. Assim, no palco das noites da Queima das Fitas, vão passar ainda, os:

  • Central Rock, uma banda nacional, proveniente de Lisboa, a 2 de Maio;
  • Los Cubanitos, um grupo de musica cubana a 3 de Maio;
  • Egg Box, vencedores do concurso de Bandas de Garagem promovido pelas Associações Académicas, a 5 de Maio.

As bandas de Vila Nova de Famalicão, são também valorizadas:

  • Let de Jam Roll, actuam a 30 de Abri, e os
  • Millenium Show, a 3 de Maio.

Ao todo serão nove os concertos de música que certamente brindarão o público com espectáculos memoráveis. A já também tradicional FAMAtuna, o mini festival de Tunas, voltará a marcar presença no cartaz da Queima, reunindo, nesta que será a sua oitava edição, quatro Tunas Académicas: Augustuna, da Universidade do Minho, Incógnituna, da Escola Superior de Saúde do Vale do Ave, e a Tuna Académica e Ex-Tuna, ambas da Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão. Nas “Noites da Queima das Fitas de 2006”, não faltará também a animação de DJ’s nacionais e internacionais, num total de 11. Ao conhecido DJ internacional MastickSoul, desfilarão os também conhecidos DJ´s nacionais:

  • Peter J;
  • André Alves;
  • Fernando Alvim e,
  • Pedro Tabuada.

A estes acrescem os talentosos DJ´s:

  • Pedro Tinoco, de Famalicão;
  • TonyBianchi;
  • SS Tribal e
  • Paulo Strong.

Realce ainda, para a estreia dos jovens DJ’s famalicenses Ribeirinho e Bruno Azevedo, captados da 1ª Mostra de DJ´s Locais, promovida pelo pelouro da Juventude da Câmara Municipal, no âmbito do Jovem.Com 2006, O DJ residente será Mike Tudor. A noite de 2 de Maio, será dedicada a uma espécie de Stand Up Comedy, com o conhecido humorista Fernando Rocha e o promissor famalicense, Nandinho Comedy. Tal como já ocorreu com a última “Recepção ao Caloiro”, as “Noites da Queima das Fitas”, serão concentradas na sua quase totalidade, na zona comercial do Lago Discount, uma das novidades do cartaz de 2006. Evita-se, deste modo, os habituais incómodos causados às populações, residentes nas proximidades do recinto de divertimento, cujo horário de funcionamento se prolonga até de madrugada. Ao contrário do que ocorreu no passado, onde diariamente “choviam” reclamações sobre excesso de ruído e estacionamentos indevidos ou abusivos, nesta edição da Queima das Fitas, fica desde já assegurada a absoluta conciliação entre o direito ao divertimento dos estudantes com o direito ao repouso das populações. Tal como aconteceu com a edição 2005, da “Recepção ao Caloiro”, para que não haja perda de qualidade, segurança ou de participação no evento, a organização disponibilizará:

  • Autocarros, alternativos ao uso de viatura própria, para acesso àquele espaço;
  • Ambulâncias e um grupo de bombeiros para ocorrer a situações de emergência;
  • Corpo de Segurança, devidamente identificado, dentro e fora do recinto.

A segunda novidade desta edição, prende-se com a criação daquilo que se denominou de “Warm Up”. Trata-se do dia que antecede a abertura oficial da Queima das Fitas, uma espécie de aquecimento para os 7 dias de muita festa que se seguirão. Além do concerto de abertura, este dia fica marcado pela realização da “Vip Party”, uma festa de apresentação da Queima. Agradecemos a disponibilidade das senhoras e dos senhores jornalistas, contando com a vossa colaboração, que sempre demonstraram, na divulgação deste grande evento académico que faz parte da vida desta cidade e deste grande concelho que é Vila Nova de Famalicão.

sábado, abril 15, 2006

Semana da Juventude 2006 muito participada

.
Mais de três mil e duzentos jovens participaram na Semana da Juventude, edição 2006, denominada Jovem.Com, que decorreu, entre 24 de Março e 1 de Abril, em Vila Nova de Famalicão. O balanço da iniciativa foi apresentado esta semana, em conferência de imprensa, pelo vereador da Juventude, Jorge Paulo Oliveira, que considerou “o número de participações muito positivo, tendo surpreendido largamente as previsões da organização”. De acordo com o responsável pela Juventude no município famalicense, “todos os objectivos foram alcançados, e por isso, o balanço não podia ter sido melhor”. “Contámos com a participação entusiástica de milhares de jovens e conseguimos aumentar o número de associações juvenis do concelho, de duas para cinco, na colaboração e organização das diversas iniciativas”, salientou. Das diversas iniciativas promovidas ao longo da Semana da Juventude, Jorge Paulo Oliveira destacou a I Mostra de Dj’s de Vila Nova de Famalicão, como “um evento de grande qualidade que contou com uma forte adesão dos jovens talentos famalicenses”. Segundo o vereador da Juventude, “a mostra superou todas as expectativas e tivemos de limitar as inscrições a 16 participantes, dividindo o evento em duas sessões, para que todos tivessem oportunidade de mostrar o seu valor”. Tendo em conta o êxito da iniciativa e o talento dos participantes, o responsável anunciou ainda que “dois dos melhores Dj’s terão a oportunidade de animar a Queima das Fitas, de Famalicão, deste ano”. “Esta é uma forma de premiar o talento destes jovens”, acrescentou o autarca. Jorge Paulo Oliveira aproveitou ainda para destacar os debates temáticos, promovidos pelas organizações políticas da juventude, referindo que “cada uma das organizações teve a preocupação de trazer a Famalicão oradores de elevado nível, aumentando assim a qualidade e o interesse dos debates”. Referência para o desafio lançado por algumas estruturas partidárias para que este tipo de debates se realize ao longo do ano, por exemplo uma vez por mês, e não apenas durante a semana da juventude. Durante a conferência de imprensa foram ainda entregues os prémios aos vencedores do trilho urbano com raid fotográfico, dos jogos de paintball e aos melhores Dj’s. Num dos concelhos mais jovens do país, ficou demonstrado que os jovens famalicenses são uma GERAÇÃO MAIS, o lema que a Câmara Municipal adoptou para a sua Política de Juventude.
A Semana da Juventude foi organizada pela Câmara Municipal de Famalicão, envolvendo a participação de diversas associações juvenis do concelho e organizações partidárias da juventude: Associação Vento Norte, Cineclube de Joane, Associação de Estudantes da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, Associação de Estudantes da EB 2,3 Bernardino Machado, Associação Académica da Universidade Lusíada, Juventude Social Democrata, Juventude Socialista, Juventude Popular, Juventude Comunista e Bloco de Esquerda.

domingo, abril 09, 2006

HABITAÇÃO - Câmara pondera alienação de património

.
As fracções no Edificio da Ex-Fundação Salazar, que sofreu recentemente profundas obras de requalificação, poderão vir a ser alienadas aos seus arrendatarios.
.
.
A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, deliberou recentemente e por unanimidade da vereação (28 de Março), a criação de uma comissão tendo em vista a eventual alienação parcial de património imobiliário, constituído por fogos habitacionais e lotes de terreno devidamente infra-estruturados, resultado da concretização, ao longo dos tempos, das suas políticas habitacionais. Ao todo são 199 fracções habitacionais e 12 lotes, distribuídos pelos Loteamentos Municipais, Joaquim Malvar (Pinheiral), na freguesia de Antas, Loteamento Municipal da Quinta do Passal, em Avidos, Complexo Habitacional das Lameiras e de Lousado, Edifícios do Poído e da Ex-Fundação Salazar. De fora das intenções camarárias, ficam as fracções habitacionais, propriedade do município, na “Urbanização da Cal” (Calendário), “Urbanização Moinhos de Vento” (Fradelos), “Urbanização das Austrálias” (Requião) e “Urbanização da Gábila” (Gavião), ambas em fase final de construção, Bloco 15 do Covelo (Calendário) e Bairro de S. Vicente (Gavião). A eventual decisão de alienação deste património, resulta dos inúmeros pedidos para compra de fracções, por parte dos arrendatários, que conduziu à necessidade de se proceder a uma reflexão global sobre a temática e não meramente casuística. A proposta subscrita pelo vereador do pelouro da habitação, sustenta-se em motivações diferentes, separando o património actualmente arrendado daquele que está devoluto. Na primeira das situações (Complexo Habitacional das Lameiras e de Lousado e Edifícios do Poído e da Ex-Fundação Salazar), com a eventual venda do património, a autarquia visa obter graus superiores de satisfação residencial, premiar a “ascensão social” dos moradores, evitar os fenómenos de desenraizamento advindos dessa ascensão social, aumentar os graus de responsabilização individual e colectiva na gestão dos aglomerados habitacionais e aliviar os serviços camarários em termos dos seus recursos humanos e financeiros. Na segunda das situações (Loteamentos Municipais do Pinheiral e Quinta do Passal), são objectivos da autarquia evitar a violação da legítima expectativa dos primitivos adquirentes e prosseguir a concretização do desejável princípio da propriedade homogénea. A fim de evitar a especulação imobiliária, a autarquia impõe para ambas as situações, o ónus da inalienabilidade sobre o património adquirido pelo período 10 anos. No caso do património actualmente arrendado, a eventual alienação obriga ao preenchimento de dois requisitos cumulativos: ser-se arrendatário há pelo menos 15 anos e a dimensão do agregado familiar se mostrar adequada à tipologia a adquirir, ou seja, limite de 2 a 4 pessoas para os T2 e 3 a 6 pessoas para os T3. A aquisição por descendentes dos arrendatários, também será possível, se os mesmos aí residirem nos últimos 8 anos, de forma ininterrupta, haver consentimento escrito de outros familiares que se encontrem em igualdade de circunstâncias e for constituída reserva de vida a favor dos arrendatários.

sexta-feira, abril 07, 2006

Programa "Aluno em Segurança"

.
O programa “Aluno em Segurança” promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, desde 2004, através da Polícia Municipal, vai continuar a realizar-se, estendendo-se a praticamente todas as escolas do concelho. Depois do sucesso registado por todos os intervenientes, desde professores, encarregados de educação e alunos, a Câmara Municipal decidiu dar continuidade ao programa, delineando m novo plano de acção com a Polícia Municipal, que passa não só pelo reforço do policiamento nas horas de entrada e saída de alunos, mas também pela distribuição de material informativo e de aconselhamento e pela organização de palestras e conferências sobre os temas de segurança rodoviária, os perigos da toxicodependência, entre muitos outros. Actualmente, o programa “Aluno em Segurança” abrange 46 instituições de ensino do concelho, sendo a maioria do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Contam-se ainda as escolas EB 2, 3 de Arnoso Santa Maria, EB 2, 3 D. Maria II de Gavião, EB 2, 3 Outeiro de Calendário, EB 2, 3 de Ribeirão, EB 1, 2, 3 de Pedome e EB 1, 2, 3 de Arnoso Santa Maria. A Escola Profissional Forave, o Externato Delfim Ferreira, a Didáxis de Riba de Ave e a Didáxis de S. Cosme beneficiam também do programa. Refira-se que esta iniciativa envolve um espírito de cooperação entre os conselhos directivos, a Polícia Municipal, alunos e encarregados de educação. Desde a sua implementação, em Maio de 2004, o programa “Aluno em Segurança” tem atingido assinaláveis resultados, tanto na redução da delinquência, como no afastamento de elementos estranhos às escolas, mas também em outro tipo de situações, como a regulamentação do trânsito nas horas mais problemáticas.

quarta-feira, abril 05, 2006

Ciclo de Conferências: " O despertar das lutas académicas em Portugal"

.
“A Universidade e a Revolução Liberal” é o tema da segunda conferência do ciclo de debates dedicado às “Lutas Académicas e Estudantis: Do Liberalismo ao Estado Novo”, que irá decorrer no próximo dia 7 de Abril, sexta-feira, pelas 21h30, no Museu Bernardino Machado, em Famalicão. O debate, que terá como oradora convidada Zília Osório de Castro, do Centro de História da Cultura da Universidade Nova de Lisboa, irá abordar a revolta da geração académica liberal de 1820, liderada por homens como o escritor romântico Almeida Garrett, contra a alegada situação decadente da Universidade e do ensino em geral. Este é o primeiro período da história das lutas académicas em Portugal a ser abordado neste ciclo de conferências. Depois de um primeiro debate em que o historiador Reis Torgal fez uma contextualização histórica e uma síntese de todos os movimentos académicos, existentes entre o Liberalismo e o Estado Novo, em Portugal, cabe a Zília Osório de Castro lançar a discussão sobre a primeira grande manifestação estudantil. Zília Osório de Castro, licenciada em História pela Universidade de Coimbra, doutorada em Filosofia e Cultura Portuguesa pela Universidade Nova de Lisboa (UNL) é actualmente professora catedrática jubilada de História das Ideias da mesma Universidade. A sua área privilegiada de investigação é a História das Ideias Políticas. No Centro de História da Cultura da UNL, Zília de Castro coordena um Grupo de Investigação em Ciência Política, Relações Internacionais e dirige o Seminário Livre de História das Ideias, sendo responsável do projecto em curso: “Revistas: Ideias e Cultura”, apoiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e pela Biblioteca Nacional de Lisboa. Do seu currículo consta ainda a elaboração do Dicionário no Feminino e a divulgação de trabalhos que envolvem a história das mulheres nas suas variadas vertentes através da revista “Faces de Eva”. O ciclo de conferências dedicado às lutas académicas irá decorrer até 2008, passando em revista, e de forma cronológica, alguns dos mais importantes episódios dos movimentos estudantis, que eclodiram em várias cidades portuguesas, nos séculos XIX e XX, contando para isso com a presença dos mais prestigiados conferencistas nacionais.

AZIMUTE - O Encarregado do Palácio

. Escrevia na passada semana, que o anúncio da extinção dos governos civis era mais uma das manobras de diversão do PS, com o objectivo de desviar a atenção do país para aquilo que verdadeiramente lhe interessava. Concretizar a regionalização e esvaziar as grandes áreas metropolitanas e as comunidades urbanas de toda e qualquer competência futura. Continuo a pensar da mesma forma. Só um erro de cálculo evitou que os propósitos que lhe estavam subjacentes não fossem concretizados. Verdadeiramente, não contava o PS que o seu aparelho entrasse em polvorosa. Muito menos contava com actos de insubordinação política. Sim de insubordinação política. De que outro modo poderíamos qualificar o comportamento de um qualquer governador civil, que revela publicamente a sua discordância com as politicas defendidas pelo próprio ministro que o nomeou? Enquanto a comunicação social dava conta das medidas propostas para a reforma do Estado, os Governadores Civis e os dirigentes distritais socialistas começaram a movimentar-se. Em preparação estava já um claro afrontamento ao Ministro da Administração Interna se este não recuasse nas suas intenções. Ao longo da semana passada houve declarações públicas, com diferentes argumentos, mas todas no mesmo sentido. Os riscos do centralismo regional, vindas de Viseu, de Bragança e de Beja. A inconstitucionalidade da medida, esgrimida por Viseu e Braga. A necessidade de reforçar os poderes do cargo, ao invés da sua extinção, como defendeu o Governador Civil do Distrito de Braga, são apenas alguns exemplos. António Costa, o ministro da Administração Interna, não teve outra saída. Foi obrigado a explicar-se e a ceder aos protestos do PS. Os governos civis, na melhor das hipóteses, já só serão extintos no final do mandato. Independentemente da justeza, oportunidade e legalidade da medida e da validade dos argumentos daqueles que a ela se opõem, fica claro um percurso governamental propagandístico e ziguezagueante. Primeiro o Governo falava na extinção de todos os governadores civis, depois ainda ficavam cinco. A seguir, os restantes treze cargos seriam extintos nos próximos meses, em consonância com a aplicação das restantes medidas preconizadas para a reestruturação da Administração Central do Estado, agora avançam apenas as outras medidas, mas não a extinção dos governadores civis. Neste ponto chegamos ao patamar caricatural. Se, no entretanto e entre outros, serão extintos os centros distritais de Segurança Social, as sub-regiões de Saúde e as regiões de Turismo, que passam a integrar cada uma das cinco-regiões plano, o que ficam os governadores civis a fazer nos seus distritos? A tomar conta, cada um do seu Palácio? Artigo publicado no Semanário “Opinião Pública”, edição de 31 de Março de 2006

Jovem.Com 2006 em imagens

.
Lançamento do Cartão Jovem Municipal Co-Branded
.

Descida em Rappel da Torre da Câmara Municipal pela Associação Vento Norte

Debate com as Juventudes Partidárias: Desenvolvimento Sustentável
Ana Rute Marcelino (BE), Adriana Ribeiro (JCP), António Barbosa (JS), Oliveira Geão (Rádio Cidade Hoje), Joaquim Carneiro (JSD), Miguel Moreira da Silva (JP)
.
Dança Teatro - A Farra
.
Mostra de Dj's Locais (1ª Sessão)
.
Visita ao Museu da Presidência da República e Palácio de Belém
Sessão de Esclarecimento: Sexualidade
Organização da Associação de Estudantes da E.B. 2,3 Bernardino Machado
.

Conferência: Idolatria

Organização da Associação de Estudantes da Escola Secundária Camilo Castelo Branco
.
Debate com as Juventudes Partidárias: Regulamentação da Actividade Nocturna
Rui Ribeiro (BE), Silvio Sousa (JCP), Pedro Cruz e Silva (JS), Alvaro Magalhães (Diário do Minho) e Joaquim Agostinho (JSD)
.

Ciclo Finlândia: ES

Ciclo Finlândia: ISLAJA
.

ATARAXIA

DWELLING Debate com as Juventudes Partidárias: Interrupção Voluntária da Gravidez
Diana Conceição (JCP), Vera Alves (JP), Glória Araújo (JS), Paulo Couto (Famalicão TV), Maria José Magalhães (BE) e Pedro Rodrigues (JSD)

Mostra de DJ´s Locais (2ª Sessão) Trilho Urbano com Raid Fotográfico, organização da Associação Vento Norte

Debate com as Juventudes Partidárias: Tratado de Bolonha

José Soeiro (BE), Michel Seufert (JP), Santos Cruz (JSD), Magda Ferreira (Rádio Digital), Manuel Mota (JS) e José Pedro Monteiro (JCP)

X-WIFE

Actividades de Aventura