domingo, agosto 20, 2006

Ocupação de Tempos Livres

.

Quarenta jovens famalicenses, integrarão até ao final do mês de Agosto, os Projectos de Ocupação de Tempos Livres, promovidos pela Câmara Municipal em parceria com o Instituto Português de Juventude. A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, que através do seu Pelouro da Juventude, viu aprovados as três candidaturas apresentadas, proporciona assim aos jovens famalicenses a participação em projectos úteis à comunidade, durante os seus tempos livres de Verão. Desporto, Arqueologia e Protecção Civil foram as áreas de actividade aprovadas. No Desporto, cujo projecto assumiu a designação de “Verão Desportivo”, e se desenvolve no Complexo das Piscinas Municipais, o contacto directo com a dinâmica dos serviços, vem proporcionando a 12 jovens, novas e diversificadas experiências e aquisição de conhecimentos e competências pessoais, que alargarão o seu leque de interesses, fomentando ainda a aquisição de estilos de vida saudáveis. A salvaguarda do património arqueológico em perigo e o conhecimento da importância dos vestígios arqueológicos no entendimento da história concelhia, são os objectivos que a autarquia prossegue com os trabalhos de escavação arqueológica que estão a ser desenvolvidos por 12 jovens, no Castro da Boca, na freguesia de Vale S. Cosme. Por fim no apoio à vigilância florestal e à protecção civil, mais 16 jovens prestam um relevante serviço cívico em favor da comunidade, cuidando da floresta e garantindo o futuro colectivo. Os projectos que estão a decorrer desde Julho e se prolongam até ao final de Agosto, têm quatro períodos diferentes, com uma duração mínima de 10 dias, sendo que o programa diário de cada um dos projectos tem a duração mínima de três horas e máxima de cinco horas. Cada um destes jovens voluntários, beneficia de um seguro de acidentes pessoais e uma bolsa horária, no montante de 2,00 euros/hora, tendo direito no final da “missão” a um certificado de participação.

Foto: www.cm-vnfamalicao.pt

sexta-feira, agosto 18, 2006

Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos

.

No desenvolvimento do Programa Municipal “Mudar de Casa, Mudar de Vida”, na vertente de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos em Matéria Habitacional, a Câmara Municipal deliberou na sua reunião de hoje, conceder aos agregados familiares a seguir descriminados, as seguintes comparticipações financeiras a fundo perdido, num total de 45.000,00 €, 5.000,00 € por agregado familiar, tendo por objectivo a melhoria das condições básicas de habitabilidade:

  • Maria José Gomes de Faria (Arnoso, Santa Maria)
  • Maria Inês Ferreira Marques (Gavião)
  • Joaquim Moreira de Freitas (Vale S. Martinho)
  • Ana Silva Maciel (Gondifelos)
  • José da Silva Azevedo (Fradelos)
  • Idalina Reis da Silva (Ribeirão)
  • Isaltina de Azevedo Maia (Fradelos)
  • Rosa dos Santos Cruz (Fradelos)
  • Manuel Gomes de Oliveira (Gondifelos)

No decurso do presente ano, foram já beneficiadas 16 famílias, com este apoio a fundo perdido atribuído pela autarquia, tendo sido transferida a verba global de 76.782,83 €.

domingo, agosto 06, 2006

Escuteiros prestam serviço cívico

.
Os escuteiros do Núcleo Moinhos de Vento, Região de Lisboa, desenvolveram na passada sexta-feira, trabalhos de limpeza no traçado da futura Ecopista. O serviço cívico prestado à comunidade famalicense, inseriu-se no vasto programa de actividades realizadas durante toda a semana no âmbito do II Acampamento daquele núcleo do CNE que ocorreu no Parque de Campismo de Gondifelos.

sexta-feira, agosto 04, 2006

ADAR comemorou mais um aniversário

.
Na sua nova sede social, uma velha aspiração, a Associação de Doentes Alcoólicos Recuperados (ADAR) comemorou mais um aniversário, no passado Domingo. O vigésimo terceiro de um percurso que conduziu à melhor obra do país em matéria de tratamento de alcoólicos e de profilaxia e ajuda comunitária.
Actuando num campo da deficiência social, descurado pela administração central, que atinge a família - núcleo central da sociedade –, constitui um problema de segurança, põe em risco o bem-estar social e familiar, consome elevados recursos financeiros ao sector da Saúde e atenta contra a produtividade e a competitividade da economia, a ADAR destaca-se na acção assente no genuíno voluntariado, adverso à exposição, ao exibicionismo e ao mediatismo.
.
Acresce a inovação do método de acompanhamento, tratamento e reinserção social dos seus doentes, aliás, em fase de certificação internacional. Indiscutivelmente a ADAR é uma mais valia para a sociedade, sobretudo para a sociedade famalicense.

quarta-feira, agosto 02, 2006

Famalicão apresenta Seleção Nacional

.
Enquanto não chegam as Olimpíadas de Culinária, que se realizam em 2008, na localidade de Erfurt, na Alemanha, a equipa de cozinheiros olímpicos nacional treina em terras lusas. No passado domingo, 30 de Julho, no Palácio da Igreja Velha, em Vermoim, decorreu a primeira apresentação dos pratos que estarão a concurso em terras germânicas. A iniciativa da Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal, em colaboração com a Unidade de Gestão do Centro Urbano, Associação Comercial e Industrial de Vila Nova de Famalicão e Câmara Municipal, contou com a presença de mais de uma centena de participantes, entre eles os vereadores Ricardo Mendes, Tiago Durval Ferreira, Jorge Paulo Oliveira e José Santos, em representação da autarquia. A Gastronomia, indiscutivelmente um elemento cultural, muito mais que a arte efémera de bem cozinhar saborosos pitéus para gozo dos mais variados paladares, tem sido um dos pilares da Política Municipal de Turismo, concretizada em diferentes iniciativas como a Feira do Artesanato e da Gastronomia, as Quinzenas Gastronómicas, a Gastronomia Camiliana, o Festival de Doçaria Conventual, o lançamento de brochuras em torno dos restaurantes famalicenses e o ciclo de conferências já realizadas, tendo como pano de fundo a restauração e a hotelaria. A cozinha profissional, experimentalista, moderna, evolutiva, que inova nas quantidades, na decoração e na combinação de novos ingredientes, que desafia os sentidos e gere as expectativas à mesa, embora completamente diferente da dita cozinha tradicional e popular, não deixa de se inserir nesta politica de promoção turística do concelho. Tratam-se de duas cozinhas que sempre coexistiram e vão continuar a coexistir, ambas absolutamente imprescindíveis para afirmar a competitividade de Portugal, como um destino turístico de excelência.

terça-feira, agosto 01, 2006

ACANUC do Núcleo “Moinhos de Vento”, em Gondifelos

.
O Núcleo Moinhos de Vento, do Corpo Nacional de Escutas, encontra-se acampado, desde o passado sábado e até ao próximo fim-de-semana, no Parque de Campismo de Gondifelos. Trata-se do II Acampamento daquele Núcleo da Região de Lisboa, apoiado logisticamente pelo Núcleo de Vila Nova de Famalicão e pelo Pelouro da Juventude, tendo como pano de fundo as Estrelas, ao adoptar a frase “… colocou-as no firmamento para iluminarem a Terra”, como tema central. Durante uma semana, cerca de quinhentos escutistas, entre Lobitos, Exploradores, Pioneiros, Caminheiros e Dirigentes vão participar numa grande manifestação de juventude e do movimento escutista, repleta de actividades e emoções em comunhão fraterna, unidos na mesma fé e sob o ideal de Baden-Powell, tendo sempre presente a Lei do Escuta, orientadora das condutas individuais e colectivas. A Câmara Municipal, sempre reconheceu nos princípios do escutismo uma excelente escola de formação cívica e humana e tem procurado contribuir para a valorização e ampliação do movimento no concelho. São disso exemplo os apoios que tem vindo a prestar, dentro das suas possibilidades, a todos os projectos apresentados pelos diversos Agrupamentos de Escuteiros Famalicenses, seja em termos logísticos, seja na cedência de terrenos para a construção de sedes sociais, como já ocorreu em Santo Adrião e nas freguesias de Ceide S. Miguel e Louro, seja na comparticipação financeira para a edificação dessas mesmas sedes. São apoios que valem a pena. Tratam-se de investimentos na juventude e nas gerações futuras. Os jovens são indiscutivelmente uma mais valia para a sociedade e depositários da sociedade futura, podendo e devendo assumir um papel primordial no desenvolvimento contínuo da sociedade e sobretudo na construção de uma sociedade mais humanizada. É por essa mesma razão que quando se assiste a uma crescente e preocupante delapidação dos recursos naturais do planeta e à deterioração das relações humanas, os valores defendidos pelo fundador do movimento escutista, Baden-Powell, há cem anos atrás, não só continuam actuais, estão mais actuais do que nunca. O apoio ao movimento escutista é uma aposta acertada, quando se quer construir uma comunidade cada vez mais coesa e solidária, comprometida com o seu meio e com as futuras gerações de famalicenses.