quinta-feira, abril 05, 2007

Igualdade de Oportunidades para Todos

.

Miguel Araújo (Juventude Social Democrata), Rita Neves (Juventude Socialista), Miguel Moreira da Silva (Juventude Popular), Sara do Vale Guimarães (Juventude Comunista) e Ana Bastos (Bloco de Esquerda), foram os intervenientes do primeiro Debate das Juventudes Partidárias, inserido na Edição 2007 do Jovem.Com, que decorreu na passada quarta-feira, dia 4 de Abril, no Café-Concerto da Casa das Artes.

Moderado pelo jornalista Oliveira Geão, da Cidade Hoje Rádio, o tema em debate foi, a Igualdade de Oportunidades para Todos, precisamente por ser este o Ano Europeu, instituído por decisão do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu, que pretende sensibilizar a população para os benefícios de uma sociedade justa e coesa.

Conforme se pode ler no sitio da União Europeia
, apesar dos progressos já conseguidos a nível europeu na eliminação da discriminação e na promoção da igualdade de oportunidades, muito há ainda a fazer. Toda e qualquer legislação, por mais cuidadosamente elaborada que seja, não passará de letra-morta se não for traduzida em acções de longo prazo por uma vontade política e não for amplamente apoiada pela população.

O Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos constituirá uma oportunidade de promover uma sociedade mais coesa. Procurará sensibilizar melhor a opinião pública para o substancial acervo comunitário no domínio da igualdade e da não-discriminação, bem como mobilizar todos os interessados a fim de fazer avançar a nova estratégia-quadro da UE no referido domínio, inclusive após 2007.

São objectivos específicos do Ano Europeu da Iguldade de Oportunidades para Todos: Sensibilizar a opinião pública para o direito à igualdade e à não-discriminação; Fomentar um debate sobre os meios de aumentar a participação na sociedade; Celebrar e facilitar a diversidade e Lutar por uma sociedade mais coesa.

O Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, cujo pontapé de saída foi dado em Berlim, a 30 de Janeiro, no âmbito de uma inédita Cimeira da Igualdade, publicou os resultados de um inquérito da UE sobre a luta contra a discriminação (
www.igualdades2007.com.pt), segundo o qual 51 % dos Europeus (51%) pensam que não se está a fazer o suficiente para combater a discriminação nos respectivos países, 64 % é da opinião que a discriminação é muito comum, só um terço dos cidadãos diz conhecer os seus direitos, caso venha a ser vítima de discriminação ou assédio, 79% crê que ser deficiente, ser cigano (77%), ter mais de 50 anos (69%) ou uma origem étnica diferente (62%) constitui uma desvantagem na sociedade em que vivem, uma grande maioria é da opinião de que são necessárias mais mulheres em lugares de chefia (77%) e mais deputadas (72 %), muitos crêem ser necessário que o mundo do trabalho integre um maior número de pessoas com deficiência (74%) e de pessoas com mais de 50 anos (72%), 68% crêem que, para as mulheres, as responsabilidades familiares constituem um obstáculo ao acesso a lugares de chefia.

Sem comentários: