quarta-feira, dezembro 23, 2009

Barómetro: Quase metade dos municípios do Norte sem o número mínimo de médicos


De acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 34 municípios da região norte não chegava a haver um médico por cada mil habitantes em 2008.
As informações de Julho da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) relativas à quantidade de médicos no nosso país mostram que o número de médicos em Portugal - 3,5 clínicos por mil habitantes - está quatro décimas acima da média dos 30 estados-membros (3,1) e aproxima-se a passos largos do topo encabeçado pela Grécia e Bélgica . Em 2008, tendo em conta o INE, a média nortenha era de 3,4 médicos, acima da média europeia.
As informações do INE espelham um desequilíbrio. Enquanto na sub-região do Grande Porto há 6,5 médicos por mil habitantes, existe um claro fosso relativamente a outras zonas. No Minho-Lima a média é de 2,6 médicos, no Douro 1,9, no Ave de 1,6 médicos e na zona do Tâmega, a média geral é de 0,8.

1 comentário:

DAVIDE MIRANDA disse...

Viva Caro Dr. Jorge P. Oliveira.
Num final de ano foi interessante, no meu ponto de vista, ter colocado no seu blogue os mais variados barómetros. Em relação a este, acho incrivel! Os numeros não deixam duvidas...
É triste que existam estas situações quando temos um País que gasta milhoes na Saúde. Mas no meio disto tudo, o que deveria deixar os portugueses mais revoltados foram as recentes declarações do bastonário Pedro Nunes, aquando da inauguração do novo curso de medicina na faculdade de Aveiro, veio prontamente para a comunicação social afirmar que tal acontecimento era uma fraude para as futuras gerações e que dentro de quatro ou cinco anos haveria médicos no desemprego…
Ora, em primeiro lugar, os numeros não revelam isso e em segundo lugar se houvesse desemprego nessa classe profissional talvez fosse benéfico, porque era sinal que os médicos teriam que se esforçar mais em desempenhar melhor as suas funções (coisa que muitas vezes não acontece).
Bom Ano!