quarta-feira, dezembro 23, 2009

Barómetro: Mais mortes em Portugal relacionadas com droga


Segundo o Relatório anual (2008) do Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT) o número de mortes causadas por dependência de drogas aumentou em Portugal. Em 2008, foram 16, se for tido em conta o critério da Lista Sucinta Europeia ou 20 casos de acordo com o critério do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência. Estes números apontam para uma inversão na tendência de decréscimo constatada em anos anteriores.
Dos milhares de utentes que anualmente recorrem aos centros de atendimento do IDT, e em 2008 esse número foi superior ao de 2007, apenas 20% têm sucesso no processo de recuperação.
Da comparação de estudos nacionais de 2001 e 2007, assistiu-se em 2008 a um aumento moderado do consumo a nível da população portuguesa entre os 15 e os 64 anos e a uma diminuição ao nível das populações de estudantes e reclusos.
A cannabis é a droga com taxas mais altas de prevalência de consumo, seguida da cocaína e do ecstasy. A heroína, continua a ser a droga relacionada com os casos mais problemáticos de consumo, mantendo um peso relevante entre a população reclusa.
A prática de consumo endovenoso e da partilha de material de entre os utentes que recorreram ao tratamento da toxicodependência diminuiu, contribuindo para a redução da transmissão de doenças infecto-contagiosas entre os consumidores de drogas, nomeadamente do VIH.
Ao nível das condenações, o número de indivíduos condenados e em situação de reclusão no final de 2008 representava o valor mais baixo desde 1995, reforçando a tendência de decréscimo contínuo registada desde 2002 e a diminuição destes reclusos no universo da população reclusa condenada a nível nacional.

Sem comentários: