sábado, março 22, 2008

25º Aniversário do Complexo Habitacional das Lameiras


Os moradores do Complexo Habitacional das Lameiras celebram amanhã, Domingo de Páscoa, os 25 anos de residência e convivência neste espaço habitacional.

Para assinalar a efeméride foi constituída uma Comissão de Honra das Comemorações dos 25 anos do Edifício das Lameiras presidida por Armindo Costa, Presidente da Câmara Municipal, Nuno Melo, Presidente da Assembleia Municipal), José Carlos Pereira Marinho, antigo Presidente da Câmara, Antero Alexandre de Castro Martins, antigo Presidente da Câmara, Agostinho Peixoto Fernandes, antigo Presidente da Câmara, Fortuna Pereira, antigo Director do Fundo de Fomento de Habitação, Jorge Paulo Oliveira, Vereador da Habitação, Jorge Faria, Presidente da Direcção da AML, Américo Rodrigues, Presidente do Conselho Fiscal da AML e José Maria Carneiro da Costa, Presidente da Assembleia-Geral da AML.

Depois de terem iniciado no passado dia 16 de Março as comemorações prosseguem amanhã com o seguinte programa: 09,30 Horas – Hastear das Bandeiras e entrada no recinto do Edifício das Lameiras da Fanfarra dos Escuteiros de Antas, seguindo-se a inauguração do “Espaço Social, Desportivo e Cultural da AML” fruto da recuperação, com o apoio da Câmara Municipal, da 1.ª fase das antigas instalações do Centro Social das Lameiras, onde funcionarão a Sede da AML, Gabinetes de Atendimento e Acompanhamento Social, Grupo Desportivo, Secção de Pesca Desportiva, Centro Juvenil para a ocupação dos tempos livres de Adolescentes e Jovens, nos fins-de-tarde e noite e Grupo TELA. 10,00 Horas, Sessão Solene com intervenções dos membros da Comissão de Honra e do Arquitecto Noé Dinis, autor do Projecto de arquitectura do Edifício das Lameiras. 11,00 Horas – Missa Campal comemorativa do Aniversário, presidida pelo Pároco de Antas e transmitida pela Rádio Cidade Hoje. 14,30 Horas – Visita Pascal aos Moradores das Lameiras, seguindo-se, no final, a Visita aos idosos do Lar do Centro Social e Comunitário da AML. Durante o dia – Difusão de música religiosa gravada alusiva à efeméride.

O início da construção do Complexo Habitacional das Lameiras, constituído por 290 habitações, 30 lojas comerciais e as instalações sociais da Associação de Moradores das Lameiras, remonta a 1978, numa altura em que a Governação da época criou o FFH – Fundo de Fomento da Habitação, mais tarde designado de IGAPHE – Instituto de Gestão e Alienação do Património Habitacional do Estado, hoje extinto.

A construção deste Aglomerado Habitacional, em pleno Centro Urbano da Cidade de Vila Nova de Famalicão, foi motivo de muita discussão pública, tendo sido à época fomentadas duas correntes de opinião, a favor e contra a sua edificação. Vingou a primeira, tendo a empreitada sido adjudicada à empresa OPERCAL já extinta.

Só no primeiro semestre de 1983 o Edifício passou a ser habitado, se bem que, nos últimos dias de 1982, três famílias aí hajam sido alojadas, sem água nem luz.

O Complexo Habitacional nunca chegou a ser formalmente inaugurado, pelo que na Páscoa de 1983, com o edifício em grande maioria já habitado, os seus moradores em colaboração com a Paróquia de S. Tiago de Antas, decidiram colmatar essa omissão criando o Dia do Edifício, no próprio dia da Páscoa, com a celebração de uma missa campal, tradição que se manteve até aos dias de hoje.

Ao longo de todos estes anos assistiu-se a um processo gradual de integração do Complexo Habitacional na cidade. Em Maio de 1984 foi criada a Associação de Moradores das Lameiras, que começou, de forma organizada e persistente, a conduzir todas as reivindicações dos moradores, relacionadas com as deficiências de construção.

As mais de 500 crianças em idade escolar, inicialmente distribuídas pelas duas escolas primárias da cidade mais próximas, foram colocadas na criada Escola Primária das Lameiras que ocupou os pré-fabricados que anteriormente serviram de estaleiros das empresas que construíram o Edifício das Lameiras.

Em 07 de Maio de 1993, foi inaugurada uma nova escola de raiz, a funcionar de forma modelar na Rua da Associação de Moradores das Lameiras, servindo não apenas as crianças do Complexo Habitacional, mas também as de toda a zona nascente da cidade de Famalicão.

Nos anos de 1989 e 1990, assiste-se às primeiras grandes intervenções do Complexo Habitacional, passando este a ostentar, na parte exterior uma outra fisionomia e mais moderna.

Em Dezembro de 1997, foi assinado em Lisboa, na sede do IGAPHE, um convénio com a Associação de Moradores das Lameiras, que viria a permitir uma série de intervenções sincronizadas com as duas instituições, conferindo uma nova imagem ao interior do Complexo Habitacional das Lameiras.

Em 20 de Maio de 2004, entre o extinto IGAPHE e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão foi assinado o “Auto de Cessão”, que procedeu à “Transferência de Bens Imóveis e dos Respectivos Direitos e Obrigações” propriedade daquele Instituto neste Complexo Habitacional, para o Município de Vila Nova de Famalicão.

Nesta mesma data, a Câmara Municipal, consciente de que toda e qualquer intervenção a desenvolver futuramente nos complexos habitacionais transferidos, teria sempre de ser efectuado em parceria com as suas associações de moradores, outorgou com a Associação de Moradores das Lameiras, um acordo de colaboração relativo à gestão patrimonial e social do respectivo complexo habitacional que tem com sucesso perdurado até aos dias de hoje.

Sem comentários: