sábado, agosto 04, 2007

Uma casa para o «menino azul»

.

Habitação foi atribuída a Emanuel pela câmara de Famalicão. Autarquia diz que este não é caso isolado. «Mostraram-me uma chave. Nem queria acreditar», contou a mãe da criança de 11 anos ao PDiário.

Emanuel Silva, conhecido como «menino azul, e a sua mãe vão receber uma casa da autarquia de Famalicão. A notícia foi avançada ao PortugalDiário por Helena Silva que prevê mudar-se com o filho para a nova habitação no mês de Dezembro. A autarquia confirmou esta atribuição, que justifica dadas as especificidades desta família.

«Fui chamada pela segurança social depois das notícias do PortugalDiário», disse Helena Silva, referindo-se aos artigos que foram publicados entre os dias 2 e 13 de Julho e que geraram uma onda de solidariedade entre os leitores do jornal. Ao todo, a família recebeu na sua conta donativos que ascenderam aos 4600 euros, um valor suficiente para garantir o pagamento de seis meses dos dispendiosos tratamentos clínicos de Emanuel.

A mãe da criança disse ainda que, depois destas notícias, surgiu o convite de ir a uma feira em Alijó, onde conseguiu vender vários quadros que pinta «com os dedos» para complementar o magro orçamento mensal de 460 euros (110 do abono de Emanuel e 350 de rendimento mínimo). Foi após ter participado nesta feira que lhe foi comunicado que iria «receber uma habitação» por parte dos serviços de acção social da Câmara Municipal de Famalicão.

Helena Silva diz que esta foi uma boa surpresa, mas inesperada. «Mostraram-me uma chave. Nem queria acreditar», sublinhou. «Ainda pensei que era uma brincadeira de mau gosto». Mas não foi.

Segundo revelou o vereador da habitação da Câmara de Famalicão, a casa situa-se no complexo habitacional das Lameiras e está a ser sujeita a obras de renovação. «Até meados de Setembro estarão prontas», assegurou Jorge Paulo Oliveira ao PortugalDiário. Quanto a Helena Silva, diz que se quer mudar com Emanuel quando conseguir comprar o equipamento essencial para tornar o espaço habitável. «Mesas, cadeiras, etc», apontou.

«Não é um apoio ocasional»

De acordo com o vereador Jorge Paulo Oliveira, este «não se trata de um acto isolado, mas é fruto de um acompanhamento continuado da família».

«Sabemos e confirmamos que não tem rendimentos suficientes para suportar uma renda mensal de 300 euros como acontece agora», referiu o autarca, apontando que sem este encargo a família terá «outro desafogo».

O responsável camarário disse ainda que «a câmara já em 2005 conseguiu priorizar e obter o então rendimento mínimo garantido». «Não é um apoio ocasional», garantiu.

Em Portimão a partir de sexta-feira

Para complementar o dinheiro que recebe de apoios sociais, Helena Silva dedica-se à pintura. A arte, conta, surgiu da necessidade. «Só sei pintar com as mãos», explicou. O dinheiro que consegue angariar com a venda dos quatros reverte para saldar as contas de farmácia e dos dispendiosos tratamentos de Emanuel.

O próximo destino da família do «menino azul» é a Feira da Sardinha de Portimão. «Vou estar dez dias nessa feira, depois descanso um dia e vou para a feira Tatacil, em Lagoa, que começa a 17», explicou Helena Silva. À venda estará ainda o livro «Meu menino azul. Querer é poder».

O NIB para os donativos de ajuda ao «menino azul» é: 003500990004146020074.

OBS: Noticia extraída do site PortugalDiário, publicada em 2007/08/02 (http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=839287&div_id=291).

Sem comentários: