domingo, agosto 09, 2009

Câmara Municipal relembra vitória de Carlos Carvalho

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão através do Pelouro do Desporto, relembra a passagem do cinquentenário sobre a vitória do ciclista famalicense Carlos Carvalho na Volta a Portugal em Bicicleta.

Foi precisamente no dia 15 de Agosto de 1959, naquela que foi a 22ª edição da mais importante volta velocipédica do país, que Carlos Carvalho chegou à derradeira etapa vestido de amarelo. Um feito nunca mais alcançado por qualquer outro ciclista famalicense. A alusão dessa conquista será feita com a colocação de pendões na cidade e outros pontos do concelho. Em preparação está também uma retrospectiva fotográfica da carreira deste grande atleta que nos deixou em 2004.

José Carlos Pereira de Carvalho construiu, por seu próprio mérito, um lugar cimeiro entre os maiores desportistas do século XX em Vila Nova de Famalicão. Homem abnegado ao desporto desde a primeira hora, aliou a sua simplicidade à dedicação e ao empenho com que participou em diversas provas do ciclismo.

Nasceu a 2 de Janeiro de 1933 na freguesia de Vermoim, mas viveu a maior parte da sua vida na vizinha freguesia de Pousada de Saramagos.

Desportista empenhado e dedicado, Carlos Carvalho teve um grande mecenas e amigo, o Eng. Fernando Pimenta, que lhe prestou o maior apoio e estimulo nos primeiros anos da sua actividade como ciclista, correndo sozinho, com o patrocínio da Riopele.

Começou a destacar-se no início da década de cinquenta, nas provas realizadas pela Mabor, vencendo em 1953 o Campeonato Nacional em Amadores/Seniores.

Ingressa no Futebol Clube do Porto em 1955, marcando a estreia pelos azuis e brancos, na Volta a Portugal, naquela que foi também a sua própria estreia na mais importante prova velocipédica portuguesa. Foi 2º na terceira etapa, venceu o Prémio da Montanha, feito que repetiria por mais duas vezes, ajudando ainda o Futebol Clube do Porto a alcançar a vitória na Classificação Geral Colectiva.

A sua primeira vitória em etapas na Volta a Portugal ocorre em 1957. Corria-se a 17ª tirada com chegada a Lisboa.

1958 é um dos melhores anos de Carlos Carvalho. Venceu a Clássica Porto-Lisboa, foi terceiro da Geral na Volta a Portugal, vencendo duas das suas etapas, a terceira com chegada a Évora e a nona, na Pista de Alvalade, em Lisboa. O Futebol Clube do Porto volta a conquistar o primeiro lugar na Classificação Geral Colectiva.

O seu maior feito seria, porém, alcançado no ano seguinte. Carlos Carvalho foi o vencedor da 22ª Volta a Portugal em Bicicleta, prova disputada ao longo de 26 etapas, num total de 2643,5 quilómetros, à média horária de 33,715 Km/hora. Carlos Carvalho ganhou a "prova rainha" do ciclismo nacional em 15 de Agosto de 1959, secundado por Jorge Corvo, do Tavira a 5 segundos. A esta vitória, soma-se a do Futebol Clube do Porto na Classificação Geral Colectiva e o primeiro lugar do Pódio na 12ª etapa.

Famalicense de alma e coração, Carlos Carvalho ofereceu a camisola amarela ao Município de Vila Nova de Famalicão.

Neste ano de 1959, destaque ainda para o terceiro lugar da classificação geral alcançado na “Corrida dos Seis Dias”, na Uberlandia, Brasil.

Fazendo jus às suas características de trepador, Carlos Carvalho voltou a ser o rei da Montanha na Volta a Portugal em 1960 e 1961.

Aos 31 anos e ao fim de 10 anos ao serviço do Futebol Clube do Porto, e depois de contribuir para mais uma vitória colectiva na Volta a Portugal (1964), ingressa em 1965 na equipa CEDEMI, de Viana do Castelo, simultaneamente como ciclista e Director Desportivo. Na Volta desse ano, fica para a história o roubo da camisola amarela a um ciclista espanhol, tudo porque Carlos Carvalho não resistiu ao impulso de ser o primeiro a passar em Vila Nova de Famalicão.

Um ano depois, ainda na CEDEMI, Carlos Carvalho põe termo à sua carreira de ciclista profissional, modalidade onde alcançou grande prestígio no panorama ciclista nacional e, inclusive, internacional. Com efeito Carlos Carvalho chegou a participar na Volta à Espanha, integrando a selecção portuguesa onde corriam Alves Barbosa, João Marcelino, Joaquim Carvalho, Sousa Santos, Agostinho Ferreira, José Firmino, Artur Coelho e Manuel Graça.

De acordo com Cycling Ranking, Carlos Carvalho ocupa o 50º lugar entre os melhores ciclistas de sempre de Portugal (1869-2009), ante os 472 ciclistas portugueses que pontuam neste ranking.

Após ter deixado o ciclismo como actividade profissional, Carlos Carvalho continuou ligado à promoção do desporto, sobretudo dos mais jovens.

Na década de 90, a Associação de Ciclismo do Minho promoveu uma homenagem a Carlos Carvalho, tendo organizado, no âmbito da ExpoAve, uma exposição onde foi exibida, por exemplo, a bicicleta com que este famalicense vencera a Volta a Portugal de 1959.

Em 1993, a Câmara Municipal atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Municipal Desportivo, como reconhecimento de uma vida ligada ao fomento do desporto.

Em 1999, a ADRO – Associação Desportiva Outeirense, sediada em Pousada de Saramagos, criou uma escola de ciclismo com o seu nome, tendo por objectivo a formação das crianças e dos jovens do ciclismo. Também esta associação lhe promoveu uma homenagem em 2003.

Em 2008 a Associação de Ciclismo de Pousada de Saramagos, depois da extinção da secção de ciclismo da ADRO, criou uma Escola de Ciclismo a que deu o nome de Carlos Carvalho.

Nesse mesmo ano surge o Prémio de Ciclismo Carlos Carvalho – Cidade de Vila Nova de Famalicão, uma iniciativa desta associação em colaboração com a Câmara Municipal.

Desaparecido fisicamente no dia 11 de Janeiro de 2004, Carlos Carvalho permanece como um dos maiores desportistas de Vila Nova de Famalicão, sendo credor do respeito e da admiração de toda a comunidade famalicense.

1 comentário:

ecfamalic disse...

Muito interessante a lembrança/homenagem a este ciclista famalicense...