segunda-feira, janeiro 24, 2011

Comme d’habitude

É difícil encontrar um político, um comentador ou um analista que, ostentando um ar grave e preocupado, não fale dos elevados índices de abstenção eleitoral, dos perigos que esta representa para a democracia, da absoluta necessidade para reflectir sobre as suas causas, etc….

Foi assim na noite de ontem, tem sido assim ao longo do dia de hoje.

Amanhã, amanhã tudo será diferente. O país regressa à sua anormal normalidade e com ela o tema da abstenção cairá novamente no esquecimento, “comme d’habitude” até à próxima noite eleitoral.

Sem comentários: